PROJETO JORNADAS – Relatório Setor Agropecuária – junho 2013.

 

Relato atividades e situação atualPOTENCIALIDADES PRODUTIVAS DA GRANDE

SANTA ROSA

AGRONEGÓCIO

 

  1. Desenvolver e viabilizar projetos de manejo e conservação de água e solo.

Coordenação : Aldo V. Schmidt – Emater Regional – Santa Rosa

 

  1. A Emater a nível de RS em conjunto com a Embrapa Trigo Passo Fundo, iniciaram ainda em 2012 discussões a nível de estado, e depois a nível regional, sobre a questão. Nos integramos do grupo desde 2012, participando da primeira reunião em Porto Alegre.

  2. Em março de 2013 realizada reunião em Santa Rosa com grande grupo de entidades do setor regional, discutindo as questões básicas e pontos para reflexão e atuação. Na referida reunião criou-se um grupo técnico de trabalho, incluindo as seguintes entidades : Setrem; UFF-Cerro Largo; Escola Guaramano; Escola Fronteira Noroeste; Cotrirosa ; Coopermil e Emater (Coordenação).

  3. O referido grupo reuniu-se por várias vezes, discutindo diversas questões, em oportunidade com a presença da Embrapa Trigo e Emater central Porto Alegre, objetivando ações a serem desenvolvidas sobre a questão na região.

  4. Na última reunião realizada em 17 de maio (estive de férias, em viagem, não participei), o grupo decidiu pela realização de um evento regional em julho, tipo seminário, nos moldes dos que já haviam ocorridos nas regiões de Palmeiras das Missões e Frederico, sugestão minha ao Aldo, antes de entrar em férias . Nestes eventos o formato foi de processo de alertas regionais sobre os problemas que vem ocorrendo em relação ao manejo e conservação do solo e água. Os palestrantes de cada evento e os tópicos apresentados, foram de consenso dos grupos de discussões. Para o evento a ser organizado na região em julho, possíveis temas a serem abordados e palestrantes:

– Situação atual do manejo do solo no RS – Streck

– Fundamentos sobre manejo e conservação do solo: da teoria a prática – Denardim

– Manejo fisico do solo em plantio direto – melhoria na infiltração, armazenamento e disponibilidade de água pelas plantas – Klein UPF e Miguel SM.

– Manejo da fertilidade do solo em plantio direto – Jackson, Telmo ou Santi e como contraponto, Kaminski ou Scotegui.

– Manejo de solos em sistema integração lavoura pecuária -Paulo Carvalho, Ivanor.

O apoio na organização, busca dos palestrantes e recursos, tem a participação da Emater Porto Alegre, na Pessoa do Sr. Streck, coordenador estadual na área.

 

Para surpresa do grupo, no final de maio, ocorreu a demissão do coordenador do grupo regional Aldo/Emater.

Neste momento ainda não temos a indicação do substituto por parte da Coordenação da Emater Regional, e nem informações da Emater a nível Estadual, a quem está a responsabilidade a nível Estadual do programa.

Vamos aguardar nos próximos dias o desfecho. Sentimos a saída do Aldo da Emater. Conversei com ele para continuar nos apoiando, vai pensar no assunto. Dependerá quem for indicado pela Emater. Melindres políticos, tem muitos e estão atrapalhando.

 

  1. Estímulo a atividade de fruticultura

Coordenação : Gilmar Vione – Emater Regional – Santa Rosa

 

Nesta atividade também nos inserimos como AD, ainda em 2012, participando de diversas reuniões, num período coordenadas pela Prefeita Vanice de Porto Vera Cruz.

Esta por ser uma atividade basicamente ligada a agricultura familiar, e de interesse nos programas governamentais e de políticos da região, com emendas e recursos, existem diversos grupos discutindo os programas. Dentre os grupos podemos destacar as Cooperativas da agricultura familiar, a AREDE, o Território Fronteira Noroeste, apoio da Embrapa Clima Temperado – Pelotas (Fruticultura), Setrem e UFFS-Cerro Largo. Sentimos que não os agrada a participação da AD no processo.

 

Bem, participamos como Coopermil, a convite da Embrapa de Pelotas de reunião realizada no dia 20 de maio, com a participação das diversas entidades ligadas a atividade. Pauta da reunião : * Dia de campo sobre Cana de açúcar na área experimental da Coopermil (realizada no dia 07 de junho – ótima participação de envolvidos com a cana e seus produtos, mais de 100 participantes); * Dia de campo sobre Videira em Cinquentenário, (realizado no dia 13 de junho -organizado pela Emater, também com ótima participação), * Destinação recursos emenda deputado Bohn Gass, tipos de cursos e atividades para comprovação dos gastos da emenda em 2013.

 

Nas discussões que acompanhamos, foram elencadas atividades para 2013, alocando unidades de demonstração em produtores da região, sobre videira, citrus e morango, bem como de experimentos nas diversas culturas junto a SETREM e a UFFS – Cerro Largo.

 

 

Sobre a atividade de fruticultura na região, podemos destacar que :

  1. Por ser atividade ligada diretamente a agricultura familiar, com interesses de governo e deputados ligados a agricultura familiar, tem-se perspectivas de bom crescimento na região, e está sendo bem conduzida pelas entidades e pela Emater na pessoa do Gilmar Vione.

  2. Com a parceria realizada com a Embrapa Clima Temperado – Pelotas, e esta com bons recursos disponíveis para programas e junto a emendas parlamentares do deputado Bohn Gass, a atividade poderá ter bons frutos na região.

  3. O envolvimento da Embrapa Clima Temperado – Pelotas, com as instituições de ensino, tipo Setrem e UFFS-Cerro Largo, para a implantação de experimentos oficiais de diversas culturas, tem apoio integral nosso e da região, pois desta forma teremos informações criteriosas dos experimentos, como formação de mão de obra qualificada para as atividades.

 

Como resumo, podemos dizer que a atividade está andando bem.

 

 

  1. Estímulo ao cultivo de madeira e lenha

Coordenação : Aldo V. Schmidt – Emater Regional

 

Discussões realizadas com o colega, e posicionamento deste, no âmbito da atuação da Emater Regional de Santa Rosa, que envolve 54 Municípios da grande região, neste momento não existe a necessidade em fomentar mais a atividade, por :

  1. A Emater vem divulgando e trabalhando a necessidade em se reflorestar ou florestar na região, principalmente pela necessidade de lenha para atividades industriais, como secadores, fornalhas e outros.

  2. Segundo Aldo o incremento na atividade nos últimos anos é expressiva, com grandes áreas de reflorestamento em toda região. Reflorestamento principalmente com eucaliptos.

  3. Em relação a necessidade de madeira para móveis, distrito moveleiro de Santa Rosa, segundo alguns industriais moveleiros de Santa Rosa, o consumo atual de madeira na atividade é muito baixa, não caracterizando ação específica para este fim, no momento.

 

Em função dos aspectos acima mencionados, esta atividade deverá ser rediscutida entre outubro e novembro, rever atuação do polo moveleiro.

 

 

  1. Buscar o envolvimento e investimentos das instituições em pesquisa e desenvolvimento

Coordenação : Sérgio Schneider – Coopermil

 

Esta ação, desde que lançada, teve total apoio do deputado Bohn Gass, o qual tem assumido a coordenação do processo junto a Embrapa Brasília e suas unidades de interesse pela região.

As informações atuais, inclusive divulgadas na imprensa regional, demonstram que existe um protocolo já firmado entre a Embrapa Clima Temperado, a Fepagro e o deputado, para a locação de um profissional da Embrapa a ser sediado na região para fazer a interlocução das necessidades em pesquisa, com os centros da Embrapa a serem envolvidos nas pesquisas.

Estamos buscando junto aos assessores do deputado a minuta do convênio para entendimento e posterior divulgação do formato de funcionamento. Esperamos acesso ao documento até final julho.

 

  1. Implementar programas de desenvolvimento da gestão nas propriedades rurais

Coordenação : Sérgio Schneider – Coopermil

 

Para esta ação, não estamos conseguindo um rumo de grupo, pois :

  • Em conversa com representante de Sindicato, estes posicionam que já realizaram vários cursos de gestão de propriedades rurais. Estes cursos não tem boa aceitação pelos produtores, para conseguir formar turmas nos cursos, necessário colocar deslocamento a disposição, além de serem gratuitos.

  • Dentro do sistema cooperativo e da Emater as informações caminham para o mesmo processo dos sindicatos.

  • Desta forma nos parece que a necessidade por parte dos produtores não são cursos de capacitação ou de gestão.

  • Mantivemos contatos com diversas entidades, buscando um alinhamento de ação.

  • Estamos trabalhando com a possibilidade em reunir as entidades no mês de julho, para discutir um caminho, com manifestações prévias de colegas, direcionando para uma discussão em as instituições de ensino qualificar profissionais para as atividades rurais, ou seja criar cursos profissionais nos diferentes campos de ação. Ex. Técnico em produção de leite.

Em grande parte podemos dizer que existem cursos qualificando mão-de-obra. O que está dificultando a contratação destes profissionais é a legislação vigente, com a necessidade do campo.

 

  1. Adequação da legislação trabalhista para a atividade rural

Coordenação : Nelson Della Vale – Sindicato dos Trabalhadores Rurais S.Rosa

 

Esta ação é a mais travada até o momento, não por empenho do coordenador, aliás o Nelson tem cobrado bastante as discussões sobre o assunto.

Em conversa com advogados conhecedores da área, como Capelletti/Coopermil e outros, acham que no momento é prematuro uma discussão maior sobre o assunto.

Desta forma sugeri ao Nelson para deixarmos para agosto ou setembro uma possível discussão com advogados conhecedores do assunto, para ver o que se pode evoluir no próximo ano.

 

 

Santa Rosa, 22 de junho de 2013

 

 

Eng. Agrº Sérgio Schneider

Coordenador Geral área Agronegócio – AD