A aviação agrícola é, nos dias de hoje, um procedimento muito usado para defender as lavouras de pragas e otimizar o tempo dos agricultores. No Brasil, o Rio Grande do Sul foi pioneiro neste serviço, em função de um ataque de gafanhotos que devastou as plantações em Pelotas, no ano de 1947. Contudo, este recurso passou a ser utilizado de forma mais constante nos anos 70, mesmo que ainda com poucos recursos técnicos o que não possibilitava o desenvolvimento do processo.

No final dos anos 90, a aviação agrícola se desenvolveu muito, novas pontas de pulverização foram desenvolvidas, barras de pulverização aerodinâmica, ampliação e aperfeiçoamento dos equipamentos nacionais e o GPS foram os principais precursores deste ramo que hoje é imprescindível em grandes áreas de terra.

Atualmente, temos a consciência de que a aviação agrícola é praticamente indispensável, sobretudo em áreas vastas, como as nossas, no Rio Grande do Sul. Por esta razão, a nossa Companhia em parceria com a Pioneer, Basf, DuPont e Nativa desenvolveu um audaz projeto de concretizar a realização de uma pista de aviação agrícola em Cinquentenário, interior de Tuparendi. A pista se deu na área de terra do agricultor e parceiro da nossa Companhia Flávio Bataglion, que acredita que, ceder um espaço de sua propriedade, é uma maneira de ajudar a trazer tecnologia para a região onde atua. “Esta pista é um grande benefício para a região”. Ressalta Flávio, que deu o nome de seu pai à pista, chamando-a de Tio Berto, como era conhecido na região.

No sábado, dia 9 de novembro, foi realizada a abertura oficial da pista Tio Berto, bem como o voo de inauguração, onde foram aplicados fungicidas em 548 hectares, na cultura do milho naquela região. E o projeto continua, segundo o Gerente da Casa Cinquentenário Rogerio dos Santos, a Companhia já esta pensando na cultura da soja, pois este primeiro momento de aplicação no milho foi um grande sucesso, tanto na visão da nossa Companhia como dos agricultores e parceiros.

“A pista veio em boa hora, pois Cinquentenário e a região tendem a aumentar as áreas de milho” observa Oldair Golin, cliente da Casa. O agricultor ressalta ainda que todos tiveram ótimos resultados com aplicação de fungicida. Algumas doenças ocorridas em variedade de milho têm causado perdas e danos, como a ferrugem, que prejudica a lavoura de alto potencial produtivo, porém com a aplicação de fungicidas sente uma segurança maior, além de evitar amassamento e perdas por danos mecânicos. Assegurando, desta maneira, todo o potencial que o milho tem disponível.

O agricultor Marcos Brun, que teve a sua área protegida no sábado salienta que esta é mais uma ferramenta que ajuda o produtor, ela já vinha sendo usada no estado e agora temos a oportunidade de tê-la na nossa região.

A agricultura na região de Tuparendi, com certeza passará por uma transformação positiva e a nossa Companhia, juntamente com os seus parceiros, se orgulha em fazer parte disto, auxiliando os agricultores e desenvolvendo projetos que fazem com que a cidade e região seja vista e reconhecida em todo o nosso estado.