Há 15 meses atrás era dado início ao que hoje se transformou em um dos mais modernos parques industriais do país. Distribuída em 7.500 metros quadrados, a nova área que abriga a parte de pintura, foi construída junto a unidade da AGCO de Santa Rosa, no Rio Grande do Sul.  Os investimentos entre construção e novos equipamentos industriais baseados em nanotecnologia, que chegam a casa dos R$ 65 milhões, são capazes de proporcionar um processo de fabricação mais limpo, seguro, com baixa geração de resíduos e isento de materiais pesados e solventes, diminuindo também, o consumo de água.  

A inauguração aconteceu na manhã de ontem, terça-feira, contando com a presença de representantes da empresa, colaboradores e convidados, que puderam presenciar o funcionamento da mesma.  Segundo o Vice Presidente Sênior e Gerente Geral da AGCO América do Sul, André Carioba, esta planta foi trazida à Santa Rosa para que a empresa seja mais produtiva, conseguindo desta forma, ganhar mais espaço com colheitadeiras no mercado.  "Para sermos mais produtivos, precisamos de processos modernos, com tecnologia de ponta, como na pintura, por exemplo. Hoje a nossa pintura se iguala as melhores montadoras de carro do mundo", disse ele.

Ainda de acordo com Carioba, a produção de 10 modelos diferentes de colheitadeiras e plataformas de cortes de grãos na AGCO de Santa Rosa aumentará nos próximos meses, já que a antiga parte da pintura será desativada, abrindo espaço na unidade. "Aos poucos vai ser tudo migrado para o novo sistema de pintura, o que deve acontecer até setembro deste ano. Serão descartados os equipamentos de pintura antigos, abrindo mais portas para montagem neste lugar. Hoje estamos com a capacidade apertada de certa forma. Com este ganho de espaço vai melhorar o fluxo da montagem e o próprio operário vai ter mais espaço para trabalhar melhor e ao mesmo tempo, precisamos de mais espaço, porque a tendência do mercado é crescer cada vez mais em diversas regiões do país, pedindo cada vez mais de máquinas maiores", explicou.

O Vice Presidente também disse que foram 15 meses de trabalho intenso para concluir a obra e poder inaugurar o novo processo de pintura da AGCO, com aportes e equipamentos de última geração, transformando a planta de Santa Rosa em um dos parques industriais mais modernos do Brasil. Henrique Dalla Corte, Vice Presidente de Manufatura da empresa na América do Sul, diz que agora, será possível ter uma produtividade melhor na linha, com processo mais estável e eficiente. Até o final de setembro, 200 colheitadeiras por mês deverão ser pintadas já com a nova tecnologia, ocupando 100% da capacidade total.

"Se queremos espaço no mercado cada vez mais competitivo, precisamos de duas coisas: a primeira delas é estrutura adequada para uma produção de máquinas modernas; a segunda é a própria máquina ter tecnologia avançada", frisou André Carioba. "Estamos investindo em tecnologia e capacidade para que em 2016, sejamos o número um em qualidade percebida pelo cliente. Esta é nossa meta", acrescentou Dalla Corte.

Em seu pronunciamento, o Prefeito Alcides Vicini, disse se sentir orgulhoso por esta obra. "Como Prefeito tenho orgulho em saber que tem uma empresa deste nível aqui. Hoje, temos em Santa Rosa o que há de mais moderno na área. Seremos parceiros em todos os momentos para garantir que a AGCO sempre faça investimentos aqui", disse. Já o Diretor de Operações da empresa em Santa Rosa, Aldemir Ulrich, ressaltou a participação de todos os colaboradores da AGCO, que foi fundamental para o sucesso desta obra e a satisfação em dizer que hoje a planta local tem equipamentos de última geração, capazes de produzir colheitadeiras de alto nível e qualidade.  

Esta nova tecnologia existente na unidade santarosense, permite aumentar de 40% a 50% a vida útil da peça pintada, contribuindo para evitar a corrosão e aumentar a satisfação do cliente que adquire o maquinário.

por Micheli Armanje


 

https://noroestenoticias.com.br/publicacao-11802-news2.fire