A escassez de mão de obra qualificada foi tema da reunião entre o prefeito Alcides Vicini e lideranças do setor produtivo e educacional de Santa Rosa. Com o crescimento dos setores metalmecânico, construção civil e moveleiro e a expansão de grandes empreendimentos em Santa Rosa a oferta de vagas aumentou, mas a principal dificuldade dos empresários na hora da contratação é a falta de mão de obra qualificada. 

Membros das entidades empresariais, escolas técnicas e representantes do poder público discutiram o assunto no sentido de buscar soluções para reverter essa situação e criar oportunidades de capacitação e qualificação profissional. 

O objetivo é sanar os gargalos do crescimento econômico, observados em diversos setores produtivos do município em razão da falta de mão de obra qualificada. A falta de profissionais é uma reclamação dos empresários do setor, segundo o presidente da Acisap, José Munhoz Garcia.  “Acredito que o problema seja realmente a falta de qualificação para atuar em certos segmentos, justifica o empresário. 

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Fernando Borella, há um enorme volume de empresas instaladas no município e a procura por mão de obra é grande, mas falta qualificação profissional. “Este encontro realizado hoje com membros do Poder Executivo, do Legislativo, da sociedade e da classe empresarial foi importante para criar estratégias que possibilitem uma inserção cada vez maior de jovens em cursos técnicos profissionalizantes”, avalia o secretário. 

Neste primeiro encontro foi definida uma comissão que fará um levantamento de quantas instituições de formação de mão de obra existem no município, quais os cursos oferecidos, número de vagas existentes por curso e qual o número de alunos. 

Uma nova reunião foi agendada para o dia 11 de junho.