O governo revelou que modelo será o mesmo adotado no caso da binacional de Itaipu, construída em associação com o Paraguai.

A decisão a respeito das hidrelétricas de Garabi e de Panambi foi anunciada na quinta-feira após reunião ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, e o ministro argentino do Planejamento, Julio de Vido, em Brasília.

Segundo Lobão, a licitação para o projeto executivo das usinas deverá ocorrer na Argentina entre os dias 7 e 8 de março.

Os projetos, que somam 2.200 Megawatts, devem demandar investimentos de 4,2 bilhões de dólares.

Fonte: Jornal Noroeste