Os números foram apresentados por Carlos Lee, presidente da Alibem Comercial de Alimentos Ltda., durante palestra proferida na quarta-feira, na sede da AABB, durante o 100º Almoço de Ideias da ACISAP. Para ser mais preciso, a planta de Santa Rosa, segundo o dirigente empresarial, deve fechar 2010 com 858.281 suínos abatidos. “Estamos trabalhando na capacidade máxima da indústria”, ressaltou.

O Frigorífico Alibem começou a operar em 2004, quando assumiu a massa falida da Chapecó Alimentos, através de locação, a fábrica de Santa Rosa. Mostrando fotos, Carlos Lee fez o público relembrar o cenário deprimente e de sucateamento das instalações e os maquinários obsoletos. “Tivemos, ao longo destes seis anos, apoios e cobranças e minha presença aqui é para prestar contas”, disse, recordando o esforço de lideranças no movimento de reabertura da planta industrial, citando o comprometimento do ex-governador Germano Rigotto, Osmar Terra, Orlando Desconsi e Alcides Vicini no esforço conjunto de retomada da produção.

Ao comparar, citou números impressionantes. Sempre tendo 2004 como ponto de referência, informou que em janeiro daquele ano a fábrica contava com 91 trabalhadores. Diante de tantas dificuldades, a Alibem encerrou o ano abatendo 206.513 suínos, ampliando para quase 400 mil no ano seguinte, até chegar neste ano a previsão de abater mais de 858 mil suínos.

Hoje, a Alibem emprega 1.581 funcionários, o que também foi considerado pelo empresário como limite de capacidade. Em seis anos a Alibem investiu cerca de R$ 85,4 milhões em Santa Rosa nas áreas de produção, equipamentos, modernização e melhorias. Segundo Carlos Lee, em conseqüência de tais investimentos, a fábrica de ração deverá produzir neste 101,6 mil toneladas.

O grande desafio que se apresenta, de acordo com projeção feita por Carlos Lee, é de quase duplicar o número de matrizeiras na região de Santa Rosa (hoje são cerca de 22 mil), para garantir matéria-prima à indústria que atualmente compra suínos de outras regiões.

No final de sua fala, Lee prestou uma homenagem ao empresário Pedro Carpenedo, que nesta semana não se encontra na cidade.

Fonte: Jornal Noroeste