Federasul renova pedido de rigor com gastos públicos

O presidente da Federasul, José Paulo Cairoli, manifestou nesta quarta-feira, 1º de julho, após a reunião semanal de diretoria, mais uma vez, a contrariedade da entidade com a criação de uma Secretaria Estadual para tratar das questões da Copa do Mundo. Segundo Cairoli, “essa atitude significa um sinal invertido do governo para a sociedade. Criando mais estruturas e gastos com cargos políticos, o Executivo joga contra o seu principal patrimônio, que é o equilíbrio das contas públicas”.

Cairoli afirmou que essa posição não significa nenhuma restrição ao titular da pasta, e que a Federasul reconhece a extrema importância da Copa para o Rio Grande do Sul. Mas, segundo ele, o Estado poderia tratar desse projeto usando as estruturas que já tem.

“O deputado Paulo Odone é um líder qualificado, a Copa é muito importante e o governo poderia tratar dos projetos que envolvem o Mundial dentro das estruturas existentes”. Reforçou que não se trata apenas de valores e sim de exemplo: “aumentando os seus gastos, o governo perde a legitimidade para resistir às pressões das corporações e dos outros poderes por aumentos salariais e dotações orçamentárias, e pouco a pouco vai sacrificar o ‘déficit zero’ em nome de conveniências políticas”, concluiu.

fonte: Site jornal noroeste