O anúncio da instalação de uma fábrica de veículos policial-militares em Santa Rosa após reunião entre governo do Estado e representantes da holding russa Rosboronexport, nesta sexta-feira, foi uma surpresa para o prefeito da cidade, Alcides Vicini (PP). Ele está visitando um filho em Penha (SC), e ficou sabendo da novidade pela reportagem de Zero Hora.

— Mas que coisa bem boa! A gente tinha alguns indicativos, apostava nisso — comentou Vicini.

Entre os benefícios oferecidos por Santa Rosa, estão a área de 10 hectares — os locais serão visitados neste sábado —, uma isenção de 10 anos dos tributos municipais e a instalação da infra-estrutura necessária, como água, luz e terraplenagem.

Investimento e produção

O investimento inicial previsto pela empresa é de R$ 50 milhões, com a criação de 700 empregos. Na primeira etapa, os russos vão fabricar um veículo de uso militar. A produção estimada é de 300 unidades ao ano.

O jipe a ser produzido é o Gaz Tiger, veículo urbano para atuação em situações de patrulha e conflitos armados. Fabricado em três níveis de blindagem, oferece alta proteção, reduzindo riscos de ferimentos, e maior mobilidade, já que, devido à tecnologia única, é considerado mais leve, pesando cerca de seis toneladas.

— Estamos dando ênfase ao Estado devido à receptividade do governo estadual e boa qualidade da mão de obra, com alto grau de escolaridade e baixa rotatividade — informou Ricardo Marques, da TamaSul, empresa de consultoria militar que representa os interesses da Rosboron no Brasil e América Latina.

Marques informou que as negociações vêm sendo realizadas com o Exército brasileiro para o fornecimento de veículos policial-militares e também de helicópteros para atuação das áreas de defesa e saúde.

Segundo o secretário da Saúde, Osmar Terra, integrante da comitiva gaúcha que esteve na Rússia em abril deste ano para conhecer as linhas de montagem dos veículos, a instalação da fábrica traz vantagens para o RS e para a empresa, que poderá se fortalecer no mercado nacional por oferecer manutenção em solo brasileiro.

— Em Santa Rosa, há atualmente 15 grandes metalúrgicas e os empresários locais, que foram à Rússia, manifestaram interesse em participar do projeto com a Rosboron no processo de montagem — disse Terra, acrescentando que a Rosboron também poderá estabelecer convênios com universidades gaúchas na área de ciência aeroespacial.

Com informações do site do governo do Estado.

ZEROHORA.COM